sexta-feira, 7 de julho de 2017

Inspirações V

                                                                                                                                              Egon Schiele (1890 - 1918). Áustria
Vejo-me, aberta e disposta à transfixia do prazer
Minha buceta peluda, vejo-a clamante por deleite
Minhas coxas fortes, dominantes, desejam te prender
Encaixa em mim o caralho rijo, geométrico, aproveite.

Ergo a cintura, tudo facilito rebolo como puta,
Mais peço e mais recebo, introduz a pica adentro,
Sinto o pulsar, indecente descontrole, sem luta.
Alternado entre pau e buceta em louco circuncentro.

Mete despudorado, xinga e bate em minha cara,
Me sufoca, extingue em mim qualquer decência,
Conduz-me ao portal, leva-me ao limite de sua tara.

Fode-me alucinado, rende-te à minha bela imagem
Observa a inspiração que agora imito sem prudência,
E ejacula cão safado, destila em mim toda tua sacanagem.


10 comentários:

  1. Fico fascinado com tamanha beleza erótica.

    Beijo doce

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. que delicia ler isso querido

      beijo safico

      Excluir
  2. Sempre uma delicia visitar este blogue e ler tão sensual e profunda poesia erótica
    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. sempre uma delicia receber teu elogio

      beijo safico

      Excluir
  3. perdi de novo. wderfulife@outlook.com

    ResponderExcluir
  4. Que beleza de soneto, erotismo à flor da pele, fiquei incandescente. Adorei oque vi e li.
    visite-me se puder.

    bjs!

    ResponderExcluir
  5. Coxas que prendem despudoradas são apetitosamente provocantes... São cadeias reais...

    ResponderExcluir