quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Delícias Imperiais VII

                                      Jean-Auguste Dominique Ingres (1780 - 1867). França. La Grande Odalisque.

Otomana imperial, cobiçada por habilidades corporais, fêmea secreta,
Submissa e dominante, como é frequente, é aquela que, poderosa,
Usa o homem a vontade e se diverte nas mulheres com prazer e indiscreta,
Odalisca sensual, de bunda majestosa, cadela de classe, de foda generosa.

Em jardins de aventuras indecentes, chupo e embuceto um caralho,
Ao som de muachachas indolentes, peço foda e prazer em falsa submissão,
Firmo coxas e pernas , rebolo ventre e quadris, sou a Rainha do serralho,
Atraio olhares, mentes e corpos, enredo todos nas teias de minha possessão.

Exibo meu corpo cuidado, minha pele porejante, de suores escorregadia,
Plena de fluídos me sinto, pois na  buceta pressinto que um gozo está por vir,
Libero tudo e sinto em pleno peito o arfar de teu foder, tua ânsia, tua ousadia,
Enquanto solto tudo em meu delírio, mijo, gemidos, gozando até sucumbir.

Sou a grande odalisca, aquela sonhada em desenhos, aquela exaltada em cores,
Olho para ti meu modelo e me masturbo solícita, solitária na conquista,
Sabendo que me pertences, que a mim te submetes, imaginando em tuas dores,
Que ao me comer me possuis, esporrando sobre mim, tua infiel anarquista.



7 comentários:

  1. Um poema soberbo, poderoso, sedutor e inebriante
    Que faz um homem ficar cheio de tesão,endoidecer
    Sonhando que no seu imaginário haverá um instante
    Que creme se derrete, imaginando contigo, foder
    .
    Esse corpo que aos meus olhos é doçura e magia
    Num sonho que tuas líricas palavras, constroem
    Por imaginar e saber que nunca haverá esse dia
    Por não estar contigo até meus colhões me doem
    .....................................
    Desculpe mas achei por bem deixar a minha homenagem a tão MAJESTOSO poema como é o seu

    Carinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E por que razão acha que deve me pedir desculpas? Por escrevê-lo sem minha permissão?
      Se fosse um poema ruime e vulgar eu nao gostaria. No entanto, esses seus versos me agradaram a ponto de me fazer masturbar sem qualquer apelo de vulgaridade. Adorei.

      Excluir
  2. Tesudo demais. Gosto, gosto muito :)

    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Poema de tesão, imagens maravilhosas
    .
    Deixo beijinho carinhoso.

    ResponderExcluir
  4. Vês Mariangela? "Cadela de classe". O prazer não se mede por status. Puta será puta em qualquer nivel social. Ameeeeeeei o poema. Bjos

    ResponderExcluir